domingo, 13 de maio de 2018

Homenagem às Mâes


“Buscando incansavelmente minha mãe desaparecida,
Encontrei finalmente a Mãe Imortal.
Na Mãe Cósmica
Encontrei o amor que havia perdido,
Ao perder minha mãe terrena.
Buscando incessantemente,
Nos incontáveis olhos negros da Mãe,
Encontrei aqueles olhos negros desaparecidos.
Arrebatei-lhe aqueles olhos negros
que o aprisionavam,
para que pudesse encontrar
esses mesmos olhos
nos Meus olhos,
e no terno olhar
de todas as mães de olhos negros;
e para que pudesse perceber
em todos os olhos negros
só a sombra
dos Meus olhos.”


(Paramahansa Yogananda)

"A mãe é a riqueza primária de uma pessoa. Reconhecer essa verdade sobre a mãe é o dever de toda pessoa. Não há Deus superior à mãe." - Sathya Sai Baba

“Diante de uma mulher, nunca esqueças a tua mãe.” - Constancio C. Vigil

“A criança reconhece a mãe pelo sorriso.” - Leon Tolstoi

“A mão que balança o berço rege o mundo.” - Peter de Vries

“Não tem no mundo flor em terra alguma, nem no mar e em nenhuma baía pérola tal, como um bebê no regaço de sua mãe.” - Oscar Wilde

“O coração de uma mãe é um abismo profundo em cujo fundo sempre encontrarás perdão.” -  Honoré de Balzac

“Mãe: a palavra mais bela pronunciada pelo ser humano.” - Kahil Gibran

“Muitas maravilhas há no universo; mas a obra mestra da criação é o coração materno.” - Bersot

“Tudo o que sou ou espero ser, devo à solicitude de minha mãe.” - Lincoln

"Nossas mães sempre serão as pessoas mais estranhas e loucas que já conhecemos." -Marguerite Duras

"A vida começou quando eu, acordando, amei o rosto de minha mãe." ~George Eliot

"Uma boa mãe vale por cem professores." ~George Herbert

“Mãe...
São três letras apenas,

As desse nome bendito:

Três letrinhas, nada mais...
E nelas cabe o infinito
E palavra tão pequena
Confessam mesmo os ateus
És do tamanho do céu
E apenas menor do que Deus!”


(Mário Quintana)

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Silêncio

No Dia Internacional do Silêncio, uma reflexão sobre essa prática tão ausente em nossa agitada vida moderna.

Os pensadores e o silêncio

"O silêncio é a fala do investigador espiritual. Fala doce e macia é a expressão do amor genuíno. O ódio grita, o medo berra, a vaidade trombeteia. Mas o amor canta canções de ninar; ele suaviza e acalma." - Sri Sathya Sai Baba


‎'' A língua é como uma faca afiada, mata sem tirar sangue. O sábio domina palavra, corpo e mente.''  - Buda

"Deixe o silêncio revelar-lhe os segredos do mundo." – Rumi

“Agora, permanece em silêncio. Deixa que fale Aquele que cria as palavras. Ele fez a porta. Ele fez o cadeado. Ele também fez a chave.” - Rumi

“Se você quer sentir a orientação de Deus na sua vida, não perca tempo desperdiçando conversa com os outros. O silêncio é o altar do Espírito.” - Yogananda

“Praticar o silêncio significa assumir o compromisso de reservar uma certa quantidade de tempo para simplesmente ser. (...) Se você nunca se entregar à experiência do silêncio, estará provocando turbulência em seu diálogo interior.” – Deepak Chopra

 “E então, ao ouvido interior falará a voz do silêncio. E ela dirá: ‘Se tua alma sorri ao banhar-se ao sol de tua vida; se tua alma canta, dentro da sua crisália de carne e de matéria; se tua alma chora, dentro de seu castelo de ilusão; se tua alma se esforça por quebrar o fio de prata que liga ao Mestre; sabe, ó discípulo, que tua alma é da terra’.” – Helena Blavatsky

“Prestar atenção ao silêncio exterior cria um silêncio interior e a mente fica serena. Um portal está se abrindo.” – Eckhart Tolle

“Orar é um estado de simplicidade. Não é de palavras, mas de silêncio.” – Osho

“O silêncio é a vitória do espírito sobre a matéria. Ele é a base da alquimia que transforma veneno em néctar – sofrimento em alegria.” – Sri Prem Baba

“A ignorância grita, a inteligência fala e a sabedoria é silenciosa.” – Provérbio Zen


“Tacent, satis laudant.” (Silêncio também é resposta) – Provérbio

“O silêncio é um estado no qual não há movimentos mentais ou vitais de nenhum gênero, e no qual existe uma profunda imobilidade que nenhum movimento na superfície pode penetrar ou alterar.” - Sri Aurobindo

“Para diversas aflições o silêncio é o melhor remédio.” – Provérbio judaico

“No silêncio contemplativo compreendemos que somos parte de tudo e tudo é parte de nós.” – L.L.

“Um segundo de silêncio contemplativo pode fazer por você o que a leitura de todas as bibliotecas do mundo não fariam.” – L.L.

“Responder à ofensa com ofensa, é como lavar a alma com lama. O silêncio é um dos argumentos mais difíceis de se rebater.” – Dalai Lama

“O silêncio é por vezes a melhor resposta.” – Dalai Lama

“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.” – Martin Luther King

“O silêncio é a oração dos sábios.” – Augusto Cury

“Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.” – Oscar Wilde

“Saiba também calar-se para não se perder em palavras.” – Clarice Lispector

“O silêncio é a mais perfeita expressão do desprezo.” – Bernard Shaw

“Deus usa o silêncio para ensinar sobre a responsabilidade das palavras.” – Paulo Coelho

“Se os homens tivessem no silêncio a mesma capacidade que têm no falar o mundo seria muito mais feliz.” – Spinoza

“O silêncio é um espião.” – Mário Quintana

“Aqueles que têm um grande autocontrole, ou que estão totalmente absortos no trabalho, falam pouco. Palavra e ação juntas não andam bem. Repare na natureza: trabalha continuamente, mas em silêncio.” – Gandhi

“Deus é isto: a beleza que se ouve no silêncio. Daí a importância de saber ouvir os outros: a beleza mora lá também.” – Rubem Alves

“Deus se manifesta no silêncio.” – Madre Teresa de Calcutá

“O silêncio é um amigo que nunca trai.” - Confúcio

domingo, 29 de abril de 2018

Festival de Buda - Wesak

Hoje é o Dia de Buda! Na lua cheia de Touro, comemora-se o Buda Purnima (Festival de Wesak ou Festival de Buda), a celebração máxima do budismo, que marca nascimento, iluminação e morte do príncipe Gautama.

É uma data que deveria ser louvada por todos os buscadores espirituais, não somente budistas. Segundo as tradições esotéricas, nessa data um imenso portal interdimensional se abre à humanidade, e Buda expande sua luz para todo o planeta.


Momento de reflexão, de mergulho interno, de conexão com a paz interior. Momento de descobrirmos nosso Buda interno, compreendendo que Buda, Jesus, Sathya Sai Baba vivem dentro de nós, pois todos somos UM.

O Avatar Sathya Sai Baba diz:


"Enquanto viajava de um lugar para outro, Buda encontrou certa vez com um grupo de pessoas em uma aldeia que realizava um ritual de sacrifício. Este sacrifício requeria a matança de animais. Buda protestou. Ele lhes disse que o Deus onipresente era o morador interno de todos os seres vivos. Então, era inadequado sacrificar os seres vivos. As pessoas que realizavam o ritual disseram que os animais sacrificados atingiriam a liberação. Buda riu disto e disse: 'Vocês querem dar liberação a estes animais que não a desejaram! Por que não aplicam o mesmo princípio e dão a liberação a todos estes homens que estão ansiando por ela? Eu não aceito seu argumento que estes animais sacrificiais atingirão a liberação. Qual Upanishad ou Veda recomenda o sacrifício animal? Como podem pensar na liberação de qualquer pessoa quando um animal é morto? Isto é falsidade total. Este animal não expressou nenhum desejo pela liberação. Mas sua mãe, pai, esposa, filhos, parentes e muitos outros desejam liberação. Por que vocês não os sacrificam e realizam o desejo deles? Na realidade, por que não começam por vocês mesmos? Ninguém pode atingir a liberação através da violência contra os seres vivos. Este é o pior dos pecados'. Desta maneira, Buda propagou o princípio da não-violência. O amor, que é inerente em seres humanos, também está presente em pássaros e animais. Compartilhem seu amor com pássaros, animais e seus semelhantes. O amor absoluto é a verdadeira liberação. Para a liberação, vocês não precisam ir a qualquer lugar. Ela não está lá em algum lugar distante. O amor puro confere a liberação. O esforço de vocês deve ser atingir este amor universal."


PALAVRAS DE BUDA


“Só há um tempo em que é fundamental despertar. Esse tempo é agora.”

“O conflito não é entre o bem e o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância.”

“Existem três classes de pessoas que são infelizes: a que não sabe e não pergunta, a que sabe e não ensina e a que ensina e não faz.”

“Pratiquem a bondade, não criem sofrimento, dirijam a própria mente. Esta é a essência do Budismo.”

“Jamais, em todo o mundo, o ódio acabou com o ódio; o que acaba com o ódio é o amor.”

“Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos fazemos o nosso mundo.”

“Sua tarefa é descobrir o seu trabalho e, então, com todo o coração, dedicar-se a ele.”

“É melhor conquistar a si mesmo do que vencer mil batalhas.”

“Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas.”

“Guardar raiva é como segurar um carvão em brasa com a intenção de atirá-lo em alguém; é você que se queima.”

“É a própria mente de um homem, e não seu inimigo ou adversário, que o seduz para caminhos maléficos.”

“A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta.”

“O segredo da saúde mental e corporal está em não se lamentar pelo passado, não se preocupar com o futuro, nem se adiantar aos problemas, mas viver sabia e seriamente o presente.”

“O Eu é o mestre do eu. Que outro mestre poderia existir?
Tudo existe, é um dos extremos.
Nada existe é o outro extremo.
Devemos sempre nos manter afastados desses dois extremos,
e seguir o Caminho do Meio.”

"Se fosse possível observar claramente o milagre de uma única flor, toda a nossa vida se transformaria."

"Nossa existência é transitória como as nuvens do outono. Observar o nascimento e a morte dos seres é como olhar os momentos da dança. A duração da vida é como o brilho de um relâmpago no céu, tal como uma torrente que se precipita montanha abaixo."

"A sabedoria já existe em estado latente dentro de nossa consciência."

"Milhares de velas podem ser acesas de uma única vela e a vida da vela não será encurtada. Felicidade nunca diminui ao ser compartilhada."

‎'' A língua é como uma faca afiada, mata sem tirar sangue. O sábio domina palavra, corpo e mente.''

Mantra budista para pacificar a mente:


Om Mani Padmi Hum (Recebemos a Jóia da consciência no coração do Lótus).

Conheça a prece pela paz do mundo visitando nosso blog:

https://precesemantras.blogspot.com.br/




domingo, 8 de abril de 2018

Desconstruir Para Reconstruir


Momento histórico para o Brasil. O ex-presidente do PT foi preso ontem, finalmente, depois de um longo processo, onde foi condenado a 12 anos de prisão. 

Escolhi estas duas cartas simbólicas, para ilustrar minha crônica:


"Wheel of Fortune", a Roda da Fortuna - nº 10

"Tudo vai, tudo volta; eternamente gira a roda do ser... Tortuoso é o caminho da eternidade." - Nietzsche

O significado da carta diz respeito a colher o que se planta e também relaciona-se aos ciclos da vida - a roda não para, está sempre girando; ela se move através do tempo, num eterno nascer - morrer - renascer. É quando o ser encara a glória temporária da sua própria humanidade. 

"Judgement", o Julgamento - nº 20

"A Terra ecoa a promessa de um novo nascimento." - Sallie Nichols, Jung e o Tarô.

Esta carta também pode indicar a colheita no presente do que se plantou no passado. O ser encontra-se despojado, exposto ao poder maior, representado pelo anjo tocando a trombeta.

O Julgamento pede a libertação de ideias profundamente enraizadas, engessadas, que aderiram ao ser na sua caminhada. Representa uma segunda chance para situações não resolvidas no passado.

Tarôs à parte: e aí, comemoramos?

Há o que comemorar, sim. Devemos comemorar pela vitória da justiça brasileira. A comprovação de que ninguém está blindado ou acima da lei é sempre um norte a incentivar o cidadão a ser honesto e íntegro. Por outro lado, chegamos num tal nível de corrupção generalizada, que não haverá cadeias suficientes para prender os políticos desviados da ação correta. 


Luto para que o foro privilegiado caia. É esse foro que limita a abrangência da justiça e permite que figuras facinorosas prossigam habitando congressos e tribunais, servindo a interesses obscuros, enchendo os bolsos com o dinheiro público, esbaldando-se em farras de benesses e privilégios sem fim.

Há tanto a fazer ainda! Como conseguiremos prosseguir continuando a pagar salários exorbitantes à classe política, além das vantagens por ocupar determinados cargos (auxílio-moradia, auxílio-passagem, auxílio-paletó... etc.)? Tudo isso vem atraindo pessoas cujo objetivo é apenas enriquecer e se locupletar, nada mais. E a vocação política, que deveria ser uma espécie de apostolado para o qual poucos seriam chamados, é substituída pela ganância e pela ambição do enriquecimento fácil.

Eu, particularmente, comemoro e lamento. Comemoro a vitória da justiça. E lamento pela gigantesca oportunidade que Lula e o PT jogaram pelo ralo. Tiveram todas as oportunidades, todo o aval popular nos dois mandatos do governo Lula e mais um do governo Dilma, com direito a reeleição. Lamento isto não de agora. Lamento desde o primeiro mandato do petista, quando comecei a perceber os primeiros sinais de falência dos ideais petistas e das promessas de campanha. Lamento como petista que já fui. Lamento por mim e por muitos que, como eu, acreditaram no envolvimento real de Lula com aquilo que considero primordial para qualquer povo: a educação, a ética, a honestidade. Lamento pela divisão em que nos vemos agora, fruto de anos de militância petista, batendo na tecla do "povo contra as elites" quando eles próprios se comportam como a elite da elite, ostentando luxos escandalosos às expensas do erário.

É muito fácil fazer discursos contra a miséria. Iluda-se quem quiser. Miséria não se extirpa com  esmola. Há que se fazer alguma coisa, sim, por quem está com fome. Mas com o cuidado de não transformar uma ajuda emergencial num hábito viciante de apenas receber. Aquele que aprende a só andar com ajuda termina esquecendo que tem pernas próprias. Torna-se uma eterna vítima, precisando dos eternos favores do Estado para sobreviver. 

Aumentar o poder de compra do povo também não é solução para nada. Temos de aumentar - e isso é mais do que urgente - o poder de discernimento. E o poder de discernimento só ocorre com educação. Precisamos ler mais, não comprar mais. No entanto, entra governo e sai governo e a educação vai sendo historicamente relegada. Sim. Não há interesse em se investir em cidadãos que pensem; há interesse em se investir em pobreza e miséria, porque aí o Estado pode aparecer como o grande patrocinador, aquele que dá de graça. Transformando-se assim em benfeitor e podendo manipular a massa pobre à vontade. 

Descreio de líderes populistas. A era deles está desmoronando. Assim como descreio das idolatrias. Idolatrias servem apenas para nos cegar.

Entretanto, a despeito de tantas projeções sombrias no nosso cenário político... a despeito da nossa ausência de líderes autênticos e íntegros... a despeito de estarmos praticamente à deriva, ante a desmoralização diária e sistemática daqueles que dirigem nossa nação... mesmo assim devemos manter o otimismo. Cada líder que cai pelo poder da justiça é uma esperança que surge de dias melhores.


Faço votos para que a Lava Jato continue firme em sua tarefa. Faço votos para que derrubemos o foro privilegiado. Que não fique pedra sobre pedra. É dos escombros que ressurgiremos como nação. É dos escombros que conseguiremos olhar para nós mesmos e reiniciarmos nossa caminhada com novos pontos de vista, novos paradigmas, novas perspectivas. 

A "salvação" não está em líder algum... a Salvação, com "S" maiúsculo, está em cada um iniciar, por si próprio, o processo de construção de um mundo melhor não a partir de fora, de líderes, mas a partir do próprio coração, a partir da sua própria casa, da sua própria família. A partir da sua (nossa) própria jornada rumo à integridade pessoal, ao autoconhecimento, à luz interna que cada um de nós possui. O processo de formação do caráter é penoso, difícil, cheio de armadilhas. Mas abraçar esse processo é uma tarefa sagrada e inadiável, perante si mesmo e perante o cenário sombrio não só brasileiro, mas mundial.

Vivemos momentos históricos. Momentos difíceis. E é no meio dessa dificuldade que reencontraremos nossa Fênix interior.

Comemoremos, sim, sem euforias. Euforias geram conflitos. São sombras que atraem sombras. Desequilíbrios a puxar desequilíbrios. Uma corrente exageradamente eufórica de um lado - outra corrente exageradamente revoltada do outro é o bastante para iniciar um conflito.



Que brilhe o Brasil, que brilhe a nossa Luz. Que caia o que tiver de cair e que a Roda da Fortuna continue girando - a desconstrução é seguida da construção. Sempre.

Samastha Loka Sukino Bhavantu! 
(Que todos os mundos sejam felizes e bem-aventurados!) 

segunda-feira, 12 de março de 2018

Trabalhadores da Luz, Celebrai!

"Estas são notícias extremamente boas! Nunca aconteceu antes da queda na Atlântida."  

ATINGIMOS A MASSA CRÍTICA.
TRABALHADORES DA LUZ, CELEBRAI!

Transcrevo:


Ponto de Inflexão na Ascensão da Consciência humana foi ATINGIDO
Queridos seres humanos! O Ponto de (Turning Point) Inflexão foi atingido para a elevação da Consciência.

Isso pôde acontecer na medida que um número suficiente de vocês (uma massa crítica) estão atingindo o ponto de inflexão depois de terem atingido o fundo do seu subconsciente, e visto à sua própria escuridão mais escondida, de onde em você não poderia ir mais fundo, descer mais, e que pela Lei agora vocês devem ir em outra direção, agora de subida, de ascenção para a Luz: é o momento da viragem apontando rumo ao aumento da consciência humana, ela tendo passado por um imenso processo de desenvolvimento e crescente expansão da consciência, não só em relação a seus assuntos mundanos, mas também exercendo o seu potencial espiritual divino, usando o seu LIVRE ARBÍTRIO para tanto.

Estas são notícias extremamente boas! Nunca aconteceu antes da queda na Atlântida. Ainda melhor: tendo passado por este imenso processo de trabalhar através da separação de sua própria Divindade, você chegou a um lugar de força espiritual, a humanidade nunca antes realizou isso antes em toda a sua história! Considere a este respeito que você agora integrou as dimensões da dualidade em uma situação planetária de extrema densidade (conquistando muito MÉRITO), mas sua alma ainda conseguiu passar por ela, para sair do outro lado mais radiante do que nunca!

Este é o trabalho de um herói, um Herói Divino, na verdade, a Obra do Último Divino que permeou e integrou dentro de si o que está escuro e ausente do Estado esclarecido da consciência do Divino através do corpo da humanidade. Agora, é importante que, tanto quanto possível, essa onda de ressurreição represente e continue aproveitando o impulso dessa crescente energia e consciência para fazer deste processo um sucesso total e dar-lhe tanto poder que não será deixado em pé uma pedra no seu velho mundo.

A transição será tão fácil quanto possível. Mas também significa que as estruturas antigas vão cair – completa e inevitavelmente!  Para que você tenha as condições ideais para construir as novas condições planetárias. Mas, como todas as transições exigem uma saída e desapego do velho, chegará um momento em que você terá pouca coisa ou quase nada familiar para você ficar de pé.

É bom estar preparado para isso com alegria, coragem e confiança, sempre focado no que deseja criar no mundo novo, em vez de manter sua atenção no que está em processo de dissolução do velho mundo. Nunca se esqueça de quanto vocês são abençoados e de que os poderes do amor e do apoio divinos estão sempre consigo exatamente da maneira que você permitir  a medida em que eles se manifestem.

Estamos orgulhosos de vocês, na medida que vocês mostraram sua força e sua verdadeira divindade! Sem essas qualidades, não haveria a vitória da humanidade, que agora é um exemplo glorioso para todos verem no universo! Vocês conseguiram mais do que a maioria de vocês pode estar ciente.

Glória ao avanço da Fonte Divina nos mundos da escuridão! Este é o início de uma nova era de um mundo que agora desperta lentamente para novos horizontes. Está muito diante de você! Muitos desafios grandiosos esperam por vocês! Mas, na medida que vocês vão atravessando o limiar de um novo  mundo, um novo poder tem surgido no cerne da humanidade e crescendo em grandeza imprevisível.

Este deve ser um momento de celebração perpétua no meio do suor e de celebrar a sua perseverança comprometida para garantir a floração e o desdobramento de uma nova humanidade em um mundo novo. É com alegria que estamos ao seu lado! Nós somos os Blue Avians!

Mensagem transmitida pela Ute –  http://radiantlyhappy.blogspot.com.br



Ilustração: Internet

domingo, 28 de janeiro de 2018

Ideologia, Dualidade e Fanatismo

“Todas as ideologias são idiotas, 
sejam religiosas ou políticas, 
pois é o pensamento conceitual, 
a palavra conceitual, 
que tem infelizmente dividido os homens.” 

(Jiddu Krishnamurti)

“Para cada ser humano há um mundo perfeito 
feito especialmente para ele ou para ela.”

(Zygmunt Bauman)

“Se você tem alguma ideologia para se definir, 
você não é livre. Liberdade significa nenhuma definição.” 

(Osho)

Tenho uma amiga que mudou de religião. Depois que se converteu, passou a me enviar mensagens todos os dias. Mesmo sabendo que eu havia escolhido um caminho mais holístico, ligado a mestres universalistas, mesmo assim ela queria me converter (nosso mundinho tridimensional funciona assim: as pessoas se encaixotam seja numa religião, seja numa ideologia que consideram conveniente, e ficam insistindo com os outros para aderirem, para entrarem na mesma caixa delas. Espiritualmente falando - e psicologicamente também -, isso tem um nome: chama-se insegurança).

Pensei com meus botões: podemos fazer uma boa troca. Passei a escolher aquelas mensagens espiritualistas que mais me tocavam, de vários mestres, bem profundas, e mandava também para ela. Notei que ela mudou. Passou a querer debater e entrou no nível do tipo “meu mestre é melhor que o seu!” 

Calmamente, tentei, com a maior suavidade e tato que consegui reunir (de fato, não queria perder a amizade dela, só não queria tê-la como minha mentora espiritual), mostrar-lhe outras visões. Não obtive sucesso. Ela continuou com muita raiva porque não queria ler nem ouvir nada com relação a tudo aquilo que pudesse colocar em cheque suas crenças, que se transformaram (obviamente), no mais flagrante e puro fanatismo. Essa pessoa, ao escrever, projetava em mim a raiva, a revolta, a insegurança que ela sentia quando lhe chegavam os textos escolhidos por mim. Ficava evidente o medo. Típico de alguém que se acercou de uma verdade e não enxerga a verdade do outro. Ela só projetava, num comportamento “polarizado” (para usar esse termo da moda) cuja mensagem principal era: “Eu estou certa e você está errada!” "Venha para a minha corrente!"

Bem, como não sou de catequizar ninguém, continuei sem entrar na disputa e tentando falar da relatividade das coisas. Ela não entendeu e preferiu passar um tempo sem me ver.

A capacidade de observar-se a si mesmo deveria ser o que temos de melhor. Por que fugimos dessa capacidade e caímos no velho e cômodo dualismo? Porque olhar para si mesmo assusta. Não queremos ver a própria sombra. Essa negação tem um preço: aquilo que negamos ganha força. A sombra se avoluma. Sombras individuais somadas = sombra da humanidade multiplicada. E ainda nos assombramos com o grau de superficialidade do mundo? Ainda nos assombra a violência?

Leia - e tente refletir sobre este texto de Deepak Chopra, falando sobre a sombra:

"Uma vez, durante uma palestra do notável professor espiritual J. Krishnamurti, alguém na plateia levantou para fazer uma pergunta:

- Quero paz no mundo. Abomino a guerra. O que posso fazer para ajudar a alcançar a paz?

- Pare de ser a causa da guerra - respondeu Krishnamurti.

O espectador ficou perplexo.

- Não sou a favor da guerra. Só quero a paz.

Krishnamurti sacudiu a cabeça.

- Dentro de você está a causa de todas as guerras. É sua violência, oculta e negada, que conduz às guerras de todo tipo, seja dentro de seu lar, contra outros da sociedade ou entre nações.

Sua resposta nos deixa incomodados, mas acho que é verdadeira, pois o rishi védico proclamou: 

- Você não está no mundo. O mundo está em você.

Se é assim, portanto, a violência do mundo está em cada um de nós. Antes de surgir o conceito de sombra, tal afirmação teria parecido mística. Mas, uma vez que você está participando do self compartilhado, também consegue ver que todos os impulsos de raiva, medo, ressentimento e agressão seguem diretamente de você ao inconsciente coletivo e depois voltam." 

“É tão difícil observar-se a si mesmo 
quanto olhar para trás sem se voltar.” - Henry David Thoreau

Como perceber a própria sombra? Observar-se incansavelmente. Com coragem. 

Apaixonou-se por uma ideia? Abraçou uma ideologia ao ponto de começar a pensar em "nós-versus-eles"? Perdeu o discernimento – a sombra está aí.

Projetou no outro algum sentimento negativo? – a sombra está aí.

Insiste no pensamento do tipo “coitados, não sabem o que fazem, são ignorantes”? – a sombra está aí.

A sombra se insinua sempre que nos divide e sempre que pensamos em termos de “está claro para mim que a verdade é assim – você é que não quer enxergar”.



Diz o militante fanático: “Ah, mas eu sou militante político e tenho obrigação de abrir os olhos dos ignorantes e cegos!” 

O fanático religioso não pensa diferente: “Ah, mas eu sigo a igreja tal, tive a minha vida transformada e tenho obrigação de abrir os olhos dos ignorantes e cegos!” 

Pergunto eu aqui: desde quando se impõe a verdade, seja ela religiosa, política, filosófica? Veja uma criança. Quanto mais você impõe coisas a uma criança, mais rebelde ele se torna. Faça-a pensar. E aí ela poderá escolher qual o caminho a seguir. Que poderá não ser o seu. Isso vale para tudo.

“Estamos vivendo com os destroços de ideias fracassadas que um dia pareceram soluções perfeitas.” (Deepak Chopra- O Efeito Sombra). 

Quantos equívocos seriam evitados se refletíssemos nesta frase antes de criarmos muros e divisões do tipo “meu partido é o melhor”?

A vida é tão cheia de nuances. Existe sempre algo muito maior em jogo. Movidos pela sombra, no entanto, caímos no partidarismo não só da política: resvalamos para o partidarismo da vida. Levantamos bandeiras e tentamos impor nossas “verdades” ao outro, apaixonadamente, avidamente, às vezes até invasivamente... ao invés de olhar para dentro e perceber a extrema fragilidade de tantas crenças, tantas ideologias às quais nos aferramos com medo de encarar a própria sombra...

Há um antigo conto sufi que exemplifica muito bem a linha que tento seguir. Um conto quântico que me abriu muitos horizontes internos. Sempre que minha mente quer cair no julgamento... sempre que eu sinto vontade de insistir com alguém sobre algum ponto de vista, sempre que caio na tentação de querer rotular uma situação, ele me vem. 

Reproduzo-o aqui em toda sua sabedoria:

O Julgamento

Havia numa aldeia um velho muito pobre, mas até reis o invejavam, pois ele tinha um lindo cavalo branco... Reis ofereciam quantias fabulosas pelo cavalo, mas o homem dizia: 

“Este cavalo não é um cavalo para mim, é uma pessoa. E como se pode vender uma pessoa, um amigo?”. O homem era pobre, mas jamais vendeu o cavalo.

Numa manhã, descobriu que o cavalo não estava na cocheira. A aldeia inteira se reuniu, e disseram: “Seu velho estúpido! Sabíamos que um dia o cavalo seria roubado. Teria sido melhor vendê-lo. Que desgraça!”

O velho disse: “Não cheguem a tanto. Simplesmente digam que o cavalo não está na cocheira. Este é o fato, o resto é julgamento. Se se trata de uma desgraça ou de uma bênção, não sei, porque este é apenas um julgamento. Quem pode saber o que vai se seguir?”.

As pessoas riram do velho. Elas sempre souberam que ele era um pouco louco. Mas, quinze dias depois, de repente, numa noite, o cavalo voltou. Ele não havia sido roubado, havia fugido para a floresta. E não apenas isso, ele trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo. Novamente, as pessoas se reuniram e exclamaram: “Velho, você estava certo. Não se trata de uma desgraça, na verdade provou ser uma bênção”.

O velho respondeu: “Vocês estão se adiantando mais uma vez. Apenas digam que o cavalo está de volta... quem sabe se é uma bênção ou não? Este é apenas um fragmento. Você lê uma única palavra de uma sentença – como pode julgar todo o livro?”.

Desta vez, as pessoas não podiam dizer muito, mas interiormente achavam que ele estava errado. Doze lindos cavalos tinham vindo...

O velho tinha um único filho, que começou a treinar os cavalos selvagens. Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um cavalo e fraturou as pernas.

As pessoas se reuniram e, mais uma vez, julgaram. Elas disseram: “Você tinha razão novamente. Foi uma desgraça. Seu único filho perdeu o uso das pernas, e na sua velhice ele era seu único amparo. Agora você está mais pobre do que nunca”.

O velho retrucou: “Vocês estão obcecados por julgamento. Não se adiantem tanto. Digam apenas que meu filho fraturou as pernas. Ninguém sabe se isso é uma desgraça ou uma bênção. A vida vem em fragmentos, mais que isso nunca é dado”.

Aconteceu que, depois de algumas semanas, o país entrou em guerra, e todos os jovens da aldeia foram forçados a se alistar. Somente o filho do velho foi deixado para trás, porque era aleijado. A cidade inteira estava chorando, lamentando-se porque aquela era uma luta perdida e sabiam que a maior parte dos jovens jamais voltaria. 

Elas vieram até o velho e disseram: “Você tinha razão, velho – aquilo se revelou uma bênção. Seu filho pode estar aleijado, mas ainda está com você. Nossos filhos foram-se para sempre”.

O velho respondeu: “Vocês continuam julgando. Ninguém sabe! Digam apenas que seus filhos foram forçados a entrar para o exército e que meu filho não foi. Mas somente Deus, a Totalidade, sabe se isso é uma bênção ou uma desgraça”.

Sair da visão fragmentada para uma visão mais abrangente... trocar a mente-que-tudo-julga pela Consciência que observa e age sem paixões exacerbadas nem militâncias de quaisquer gêneros é o grande desafio humano.

A chamada "mente zen" dos budistas não é uma utopia. É a única realidade palpável e viável, capaz de transformar nosso modelo de civilização equivocado, dualista e decadente num novo modelo, holístico, pleno. Mas a mudança de compasso é sempre muito dolorosa. Toda mudança de ponto gera choro e ranger de dentes. Olhar para si mesmo, encarar a sombra é doloroso - esta é a má notícia. A boa é que, depois de encarar a sombra, verifica-se que ela não é tão assustadora. Nosso medo dela é que a tornava mais monstruosa do que é.

Lembremos sempre: todos somos UM!

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Dia Mundial da Paz



“A paz só pode ser alcançada pela rendição a Deus, que é a verdadeira essência de cada um, a fonte de toda a vida e de todo meio de vida.” – Bhagavan Sri Sathya Sai Baba

“A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta.” - Buda

“Quando os pensamentos inquietos são eliminados a mente se transforma, de modo natural, em um templo sagrado de paz. Deus insinua sua presença no templo do silêncio e, então, no templo da paz.” - Yogananda

“Quando praticamos a paz e estamos aptos a sorrir, nossa paz pode influenciar o universo inteiro.” – Thich Nhat Hanh

"Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho." - Gandhi

“Por mínimo que seja seu ato de amor, você já estará trabalhando em nome da paz.” – Madre Teresa de Calcutá

“A paz não é nada além de um profundo sentimento de aceitação.” – Sri Sri Ravi Shankar

“Num mundo cada vez mais ruidoso e caótico, é necessário que as almas mais sensíveis se voltem para o silêncio. Silenciar é aprofundar-se. Aprofundar-se é trabalhar pela paz.” – Lakshmi Lup

“Prefiro perder a guerra e ganhar a paz.” – Bob Marley

“Se todos derem as mãos, quem sacará as armas?” – Bob Marley

“A paz é um dom de Deus.” – Provérbio popular